Celular Smartphone Asus ZenFone 5: Intermediário com Postura Diferenciada

As principais características do ZenFone 5, o smartphone da Asus.

Azusphone 03 01

Publicado em 30/03/2015 por

A cada ano que passa as fabricantes de smartphones, um dos segmentos mais competitivos do mundo da informática, tentam conciliar preço de mercado com alta qualidade. Poucas conseguem e, assim como a Nokia, a Asus começou a trilhar pelo mesmo caminho. O dispositivo da vez que atende a esses requisitos é o Zenfone 5, primeiro smartphone da companhia Asus confeccionado em solo brasileiro. Sem dúvida, este fator ajuda e muito a baratear o produto, facilitando a vida dos usuários e promovendo ainda mais a marca. Desse modo, ele pode ser encontrado por R$ 500, em média.
 

Especificações técnicas e desempenho de hardware

O ZenFone 5 está classificado como smartphone intermediário, mesmo grupo do Sony Xperia M2 e do Moto G, do Google. Embora ele não venha como o Android Kitkat (4.4), como os concorrentes, o ZenFone 5 possui o dobro de memória RAM: 2 GB. Além disso, o drive de armazenamento está disponível nas versões com 8 e 16 GB, capacidade que pode se estender a 64 GB mediante uso de um micro cartão SD.
Ao contrário da maioria dos fabricantes, a Asus optou por usar uma CPU Atom, que é um dual-core que opera com clock oscilando até 1.6 GHz. O fato de ter apenas dois núcleos em nada compromete o desempenho do hardware, uma vez que esse processador detém a tecnologia hyperthread, ou seja, o par de núcleos físicos se subdivide em dois núcleos lógicos. Esse pequeno detalhe é o suficiente para ampliar o desempenho do Zenfone 5, deixando-o à frente do Moto G de 2ª geração, por exemplo.
 

Pontos negativos

No que tange ao aquecimento excessivo diante das operações mais complexas, ou mesmo durante a execução de aplicativos em multitarefa, o ZenFone 5 apresenta ótima velocidade, sem travamentos. Contudo, esse resultado não está livre de um incômodo aquecimento.
Além disso, a autonomia também não é das melhores e o modelo deve ser recarregado diariamente, o que não chega a ser novidade para a grande maioria dos usuários de smartphone.
Por fim, as bordas têm um design ligeiramente estranho, o que acaba alargando as dimensões do dispositivo, tornando um pouco desagradável na hora de segurá-lo.